Pular para o conteúdo

Notícias

Ação atende pessoas em situação de rua no Câmpus Florianópolis

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS Data de Publicação: 01 out 2018 16:27 Data de Atualização: 02 out 2018 12:21
Na última quinta-feira, 27, foi realizado no Câmpus Florianópolis o projeto de extensão “Autocuidado, Saúde Mental e Inserção de Práticas Integrativas aos Moradores de Rua de Florianópolis”, organizado pelos professores e alunos do curso técnico em Enfermagem.

O evento disponibilizou espaços nos quais os estudantes ofereciam cortes de cabelo, design de sobrancelha, kits de higiene pessoal, doações de roupas e calçados, aulas de primeiro socorros, orientações sobre a saúde da mulher e explicações sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) para as pessoas em situação de rua. 

O projeto faz parte da colaboração do Câmpus Florianópolis para o Setembro Amarelo. “Esse é o mês do Setembro Amarelo, quando a gente traz a conversa sobre a prevenção ao suicídio. Como a população de rua sofre inúmeras carências, decidimos fazer essa ação voltada para o aumento da autoestima” conta o professor Alexandre Pareto, coordenador do curso técnico de Enfermagem. 

A professora Vanessa Jardim, coordenadora do projeto, explica que o objetivo da ação, além de oferecer autocuidado e promoção à saúde mental aos moradores de rua, também é apresentar o instituto. “A gente pensou nessa ação para trazer os moradores de rua para dentro do câmpus, para conhecer e entender o funcionamento do IFSC. Porque essa é a finalidade da extensão, levar o IFSC para a comunidade”. 

A quantidade de oficinas e a organização do evento foi uma boa surpresa para os moradores de rua que participaram. “Achei ótimo o projeto. Fui muito bem atendido, tem muito mais coisas do que eu achava que ia ter. Superou minhas expectativas” conta Antônio Moraes, de 40 anos, que está em Florianópolis há três meses e ficou sabendo da ação no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP), parceiro do evento. 

O morador de rua Giovani Bascareli, de 24 anos, está em Florianópolis há nove meses e, apesar de conhecer o edifício verde, não sabia que era uma escola. “Eu fiquei sabendo desse projeto por um camarada meu da reciclagem. Não conhecia nada disso aqui. Não sabia que essa escola tinha esse espaço para moradores de rua. Que vocês se importam e pensam na gente”.

A aluna Débora Silveira, da segunda fase de Enfermagem, explica como o projeto foi desenvolvido em sala de aula. “Cada grupo ficou com um tema. A gente ficou com a saúde mental e com o Setembro Amarelo. Os outros grupos ficaram com as DSTs, a saúde da mulher. Então foi decidido que tudo ia ser vinculado em uma grande ação para as pessoas em situação de rua”. 

Além do atendimento aos moradores de rua, os alunos que participaram do projeto também foram responsáveis pela arrecadação de materiais de higiene, roupas e alimentos doados. “Essa atividade é importante para os alunos, para aproximar os técnicos de Enfermagem da população. É muito proveitoso porque vai integrar os conhecimentos que eles estão tendo dentro de sala de aula, com práticas e simulações. Eles estão exercitando a cidadania de prestar atendimento para todas as pessoas” completa a professora Lenna Madureira.

Confira mais fotos na na página do Câmpus Florianópolis no Facebook.
CÂMPUS FLORIANÓPOLIS EVENTOS