Pular para o conteúdo

Notícias

Projetos de monitoramento e gerenciamento de energia do Câmpus Florianópolis serão implantados em toda a rede federal

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS Data de Publicação: 05 out 2018 17:50 Data de Atualização: 05 out 2018 17:52
Projetos de monitoramento e gerenciamento de energia do Câmpus Florianópolis serão implantados em toda a rede federal

Dois projetos desenvolvidos no Câmpus Florianópolis foram aprovados pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão para futuramente serem implantados em toda a rede federal. A previsão é de que a implantação comece no segundo semestre de 2019.

Eles foram apresentados pelo secretário Romero Portella Raposo Filho, da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec), dentro do Programa Energif, na Reunião Anual dos Dirigentes das Instituições Federais de Educação Profissional e Tecnológica (Reditec). O câmpus foi representado pelo professor Rubipiara Fernandes.


Um dos projetos é o Smart IFSC, coordenado pelo professor Rafael Rodrigues. O sistema faz o monitoramento e o gerenciamento energético de toda a rede IFSC. Um piloto já foi instalado no Ministério do Planejamento e atualmente monitora dois prédios. 

O outro projeto é o Metodologia de Avaliação da Contratação de Demanda de Energia (Macde), coordenado pelo professor Rubipiara Fernandes. O programa otimiza a contratação de energia com a distribuidora. “No caso do sul do Brasil, que tem inverno e verão bem definidos, podemos contratar dois patamares diferentes de energia. Não só, como é feito normalmente, um valor para todo o ano” conta o professor Rubipiara. 

Apenas ajustando a contratação de energia com a concessionária, o Câmpus Florianópolis já economizou em torno de R$60 mil. “Esse tipo de cálculo da melhor demanda é custo zero. Na realidade você tem um software, coloca os dados da instituição e ele te mostra a melhor contratação” explica Rubipiara. Tanto o Smart IFSC quanto o Macde são projetos de pesquisa do Câmpus Florianópolis que ganharam destaque e entraram no programa IFSC Sustentável. A principal diferença entre eles é que o Smart IFSC requer que seja instalado um equipamento para fazer o monitoramento de energia e o Macde é um software que precisa dos dados da instituição para analisar a demanda de energia.

As soluções em energia que estão sendo pesquisadas e aplicadas pelo DAE no Câmpus Florianópolis incluem, ainda, um sistema de placas solares. Em funcionamento há pouco mais de um ano, a instalação dos equipamentos já proporcionou uma economia de R$ 69.661,00 no faturamento de energia elétrica, redução de 55,1 toneladas de emissões de dióxido de carbono e os dados coletados estão ajudando alunos e professores em projetos de pesquisa e no desenvolvimento de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs). 

CÂMPUS FLORIANÓPOLIS INSTITUCIONAL