Pular para o conteúdo

Notícias

Estudantes do Câmpus Canoinhas conquistam 5 menções honrosas na Obmep 2018

ENSINO Data de Publicação: 14 dez 2018 08:27 Data de Atualização: 14 dez 2018 08:32
Estudantes do Câmpus Canoinhas conquistam 5 menções honrosas na Obmep 2018

Estudantes do Ensino Médio Técnico Integrado do Câmpus Canoinhas conquistaram cinco menções honrosas na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) 2018. As cerimônias de premiação acontecerão durante 2019, em data a ser definida. Os alunos premiados são Emanuel de Andrade, Marina do Couto de Sousa e Saul Dembinski, do 1º ano de Edificações; Diego Vozniak dos Santos, do 3º ano também de Edificações; e Rafaela Lisboa Schimidt, do 3º ano de Alimentos.

Para Emanuel, esta foi a primeira participação na Obmep. “Quando era menor, achava matemática difícil. Passei a estudar mais para superar este bloqueio e entender de verdade o conteúdo”, explica o estudante. Diego, ao contrário, participa desde o 6º ano do ensino fundamental, sempre com bons resultados. Ele conquistou medalha de bronze no 6º e 7º anos e menções honrosas no 9º ano do fundamental e nos três anos do ensino médio técnico. “Gosto de resolver problemas, de saber como as fórmulas funcionam, desde a base”, conta Diego.

Marina também se diz de exatas. “Gosto do raciocínio lógico e prefiro a interpretação. Acho mais legal que as fórmulas”, comenta Marina, que tem uma medalha de bronze, obtida no 8º ano. A parte de raciocínio lógico também tem a preferência de Rafaela, que participou da Obmep pelo segundo ano. “O que gosto na matemática é que tudo tem uma lógica”, comenta a aluna.

A primeira menção honrosa conquistada por Saul, que participa da Obmep desde o 6º ano, tem um gosto especial, já que a dificuldade para quem está no 1º ano do ensino médio é maior, porque o nível da prova é o mesmo de quem está no 3º ano, por exemplo, e já viu conteúdos mais adiantados. “Até o 9º ano foi mais fácil. Agora, começou a complicação. Mas, gosto porque faz a gente ir atrás e pesquisar o que não sabia”, explica Saul. “A Obmep testa até onde consigo chegar e onde preciso evoluir”, enfatiza.

Para o professor de matemática do Câmpus Canoinhas, Marlon Mülhbauer, o resultado foi muito expressivo, já que os cursos técnicos integrados ainda são recentes no câmpus. Além de incentivar os alunos a participarem da olimpíada, professor Marlon organizou um “aulão” para os estudantes que passaram para a segunda fase. A revisão foi bastante elogiada pelos premiados, que se sentiram mais preparados para a prova.

A olimpíada

Criada em 2005 com o objetivo de popularizar o ensino da matemática entre estudantes do ensino fundamental e médio, a Obmep registrou este ano um novo recorde de escolas inscritas, com um total de 54.498 instituições, abrangendo 99,44% dos municípios de todo o país. A prova da primeira fase aconteceu no dia 5 de junho. Após a correção das provas, realizada nas próprias escolas, um total de 952.856 estudantes foram classificados para a segunda fase, realizada no dia 15 de setembro. Em Santa Catarina, o IFSC conquistou 122 premiações no total.

ENSINO