Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Araranguá e Caçador realizam formatura do Mulheres Sim

ENSINO Data de Publicação: 17 dez 2018 11:01 Data de Atualização: 17 dez 2018 13:42

Uma formatura de "alto nível", como definiu uma das alunas, marcou o encerramento do programa Mulheres Sim quinta-feira (13) no Câmpus Araranguá. Desde julho, um grupo de mulheres encaminhadas pelo Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) de Araranguá teve aulas e oficinas de artesanato e cidadania, encerrando o curso com uma alternativa concreta para geração de renda.

“A pessoa pode sair do IFSC com uma profissão, se dedicando e fazendo um trabalho bem feito. Porque o IFSC proporciona isso”, afirma a aluna Ledy Tibola, 65, que se encantou com a formatura realizada no auditório do Câmpus. “A gente vê que o pessoal tem muita dedicação e carinho. O IFSC tem uma filosofia de acolhimento e de trabalho em conjunto. É um ambiente acolhedor e a gente se sente bem para dialogar e questionar”, diz Ledy, que já fez outros cursos de qualificação no Câmpus Araranguá.

Mais conhecimento

Ao longo do segundo semestre, as mulheres participaram de uma série de oficinas sobre costura, estamparia e artesanato, além de assistirem a aulas e palestras sobre economia solidária, formação de preço, divulgação de produtos, previdência social, alimentação saudável, entre outros temas. As atividades eram realizadas às segundas e quartas. Elas tiveram a oportunidade de expor e vender seus trabalhos em duas oportunidades: durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), em outubro no Câmpus Araranguá, e no último dia 9 de dezembro, durante o Sábado Mais, no calçadão de Araranguá.

“Foi muito bacana ver as alunas tomando a frente, conversando com as pessoas e divulgando seus produtos. Mesmo quem já trabalhava com artesanato aprendeu coisas novas. Algumas alunas estão vendo [o curso] como uma fonte de renda para elas”, afirma Marilene Ritter, servidora do Câmpus Araranguá.

Coordenado pela professora Rosabel Bertolin Daniel, o Mulheres Sim é um programa de extensão do IFSC que tem como objetivo a valorização da mulher, o acesso aos direitos, cidadania e possibilidades de geração de renda. Formaram-se no curso do Câmpus Araranguá 18 mulheres, desde jovens de 18 anos até senhoras de 72.

A trajetória delas chama atenção pela abertura de novas oportunidades. Caso da Érika Rosso, que é surda e já está trabalhando, com auxílio da família, que lhe deu uma máquina de costura, para gerar a própria renda.

“A Érika mudou bastante principalmente porque aprendeu a socializar-se e além do curso de Produção de Moda [que já havia cursado no Câmpus], ela aprendeu artesanato, estamparia e costura, acabou ganhando uma máquina de costura usada da família e não quer mais parar. A família reconhece a mudança dela nesse último ano e meio. Veem que agora ela tem uma forma de ter renda e ser independente. O sonho dela sempre foi costurar”, diz a professora Juliana Zeilmann, que deu aulas de costura durante o curso.

Também formandas

No Câmpus Caçador, 22 Mulheres Sim integraram a 5ª turma do Programa, e receberam seus certificados de conclusão no início de dezembro. 

Neste ano, o Curso de Extensão para o Incentivo a Geração de Renda por meio da Confecção de Bolsas e Acessórios em Tecido, um dos projetos que integram o Programa Mulheres SIM, teve por foco trabalhar com as alunas o processo de Geração de Renda, por meio da comercialização de bolsas e acessórios em tecido que foram confeccionadas pelas alunas ao longo do Curso.

Os lindos produtos produzidos pelas alunas, ao longo das aulas, foram comercializados em três feiras realizadas durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia no Câmpus Caçador; no Céu das Artes e no Parque Central. Toda a renda arrecadada durante as feiras foi revertida para as próprias alunas.

A cerimônia de formatura certificou 22 mulheres que participaram do Programa este ano. Na cerimônia estiveram presentes e/ou representadas as entidades parceiras deste Programa em Caçador: Gered; Cras Norte e Martello e Cesmar.

“Concluímos a edição de 2018 com muito êxito, qualificando 22 mulheres em situação de vulnerabilidade social. Com esta formação, elas podem começar a produzir os produtos que aprenderam e comercializá-los, gerando renda para si ou para complementar a renda familiar”, afirma a professora Danielle Ullrich, coordenadora do Programa Mulheres SIM em Caçador.

Saiba mais

Este Programa tem por objetivo atender mulheres, prioritariamente, em situação de vulnerabilidade social do município de Caçador, dando a elas autonomia e priorizando dar qualificação e oportunidade de geração de trabalho e renda.

O Programa tem como base a construção do conhecimento considerando as experiências não formais adquiridas pelas mulheres ao longo das suas vidas, considerando os seus anseios pessoais e profissionais. A ideia é permitir o desenvolvimento da construção do saber da mulher e suas potencialidades individuais para geração de renda.

O Programa é formado por quatro projetos, sendo eles: a) Curso de Extensão para o Incentivo a Geração de Renda por meio da Confecção de Bolsas e Acessórios em Tecido; b) Feira de Economia Solidária; c) Ciclo de Oficinas, que visa trabalhar e discutir questões ligadas a ser mulher; d) Acompanhamento das Egressas.

ENSINO