Pular para o conteúdo

Notícias

Cursos do IFSC estão na faixa mais elevada de conceitos, segundo MEC

ENSINO Data de Publicação: 18 dez 2018 15:20 Data de Atualização: 19 dez 2018 07:12

O Mec, através do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), divulgou em coletiva à imprensa na manhã desta terça-feira (18) os conceitos dos cursos de graduação e das Instituições de Educação Superior (IES). O Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), no conceito geral, subiu de 3 em 2016 para 4 nessa avaliação que levou em consideração desempenhos e dados de 2017. Quanto aos desempenhos individuais, nove de 11 cursos avaliados do IFSC receberam conceitos 4 e 5, os mais elevados da avaliação. Dois obtiveram nota 3. 

Essa avaliação do Inep é conhecida como Índice Geral de Cursos (IGC), que leva em consideração o Conceito Preliminar de Curso (CPC). Esse por sua vez é formado pelo desempenho dos estudantes no Enade (Nota do Enade), pelo valor agregado pelo curso ao desenvolvimento dos estudantes concluintes (IDD), pelo perfil do Corpo docente (Regime de Trabalho e Titulação), e pela percepção Discente sobre as Condições do Processo Formativo (questionário do Estudante no Enade). 

O IGC geral do IFSC subiu de 3 em 2016 para 4 nessa avaliação (2017). Quanto aos cursos, dois deles aparecem com o conceito máximo (5), ambos do Câmpus Florianópolis: Engenharia Civil e Engenharia Elétrica. Os cursos superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, do Câmpus Gaspar; e em Gestão da Tecnologia da Informação, do Câmpus Florianópolis, estão com conceito 4. As engenharias Mecatrônica e Eletrônica, ambas ofertadas também no Câmpus Florianópolis, e a de Controle e Automação, do Câmpus Chapecó, também receberam 4 de IGC. Conceito esse ainda recebido pelas Licenciaturas em Física, do Câmpus Araranguá e do Câmpus Jaraguá do Sul-Centro. Licenciatura em Química e Engenharia de Telecomunicações, ambos do Câmpus São José, aparecem com conceito 3.  

Para a coordenadora de Graduações da Pró-reitoria de Ensino (Proen), Suzan Ladevig Garcia, a avaliação do IFSC é muito positiva, porque conseguiu num trabalho com professores e coordenadores de cursos, qualificar tanto os Projetos Pedagógicos de Curso (PPCs) quanto o processo de avaliação. “Temos ainda que ressaltar a atuação do procurador educacional e institucional da Proen, do Miguel (Moraes), pela sua aproximação com os coordenadores de curso o que oportunizou um maior conhecimento, engajamento e valorização de todo o processo”, destaca Suzan. 

Dados Gerais

Conforme números divulgados nesta terça-feira (18), dos cursos de bacharelado e licenciaturas em Ciências Exatas e dos cursos superiores de tecnologia em Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura, Produção Industrial 38,3% ficaram nas faixas 4 e 5, e a maioria (52%) dos cursos nessas áreas estão na faixa 3. Já o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC), indicador de qualidade que avalia as Instituições de Educação Superior (IES), registrou 13,5% das IES nas faixas mais baixas, 66% na média e 20,5% nas faixas superiores.

O IGC é calculado anualmente e leva em conta a média dos CPC do último triênio, relativos aos cursos avaliados da instituição; média dos conceitos de avaliação dos programas de pós-graduação stricto sensu atribuídos pela Capes na última avaliação trienal disponível; e a distribuição dos estudantes entre os diferentes níveis de ensino, graduação ou pós-graduação stricto sensu.

Esses Indicadores de Qualidade da Educação Superior são expressos em escala contínua, em cinco níveis, e constituem-se em instrumentos de avaliação da educação superior brasileira.

ENSINO