Pular para o conteúdo

Notícias

Caçador inicia primeira turma de Proeja

CÂMPUS CAÇADOR Data de Publicação: 25 ago 2016 21:00 Data de Atualização: 06 fev 2018 15:16

 

Eles tiveram que parar de estudar, mas agora estão de volta à sala de aula para concluir os estudos e ainda fazer um curso de qualificação. Isso é o que está ocorrendo com um grupo de 24 pessoas no Câmpus Caçador que iniciou, neste semestre, a primeira turma do Programa Nacional de Integração Profissional com a Educação Básica na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (Proeja). A turma terá a chance de concluir o Ensino Médio e ainda fazer, em paralelo, um curso de qualificação em Assistente para a Indústria de Plásticos. 

 

Os alunos foram recepcionados no início do mês com palestras sobre educação e mercado de trabalho e atividades de integração. Receberam, inclusive, a visita do senhor de 77 anos Semildo Eichstaedt, que concluiu o Ensino Médio recentemente e compartilhou sua experiência com a turma. Os alunos tiveram, ainda, uma introdução ao que aprenderão nos próximos um ano e meio de curso. Uma banda de bossa-nova  formada por professores do câmpus realizou uma apresentação cultural aos alunos.  

 

A professora Luana de Gusmão Silveira, de Língua Portuguesa, idealizou o início da oferta da modalidade no câmpus e compartilha a coordenação do curso com outros docentes. Sobre o perfil da turma, ela destaca o retorno de alguns alunos que imigraram do Haiti e Costa Rica e que já participaram de outros cursos na instituição.

 

A turma, em sua maioria, é composta por homens e tem idade média de 30 anos. Os alunos já estão no mercado de trabalho e, por alguma razão, abandonaram o colegial. "Por isso, não podemos repetir os mesmos erros do ensino regular", comenta o professor de Sociologia, Fernando Augusto Groh de Castro Moura.

 

Ele explica que, enquanto o ensino básico e fragmentado em disciplinas, a modalidade EJA trabalha com blocos de conhecimento - algo semelhante ao que é empregado no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Fernando, que também é coordenador do curso, compartilha o bloco de Ciências Humanas com professores de História, Geografia e Filosofia.

 

A preocupação, no entanto, é com a permanência e aproveitamento dos alunos jovens e adultos. Além de avaliações qualitativas, os alunos são acompanhados pelo Núcleo Especializado de Integração dos Programas Sociais (NEIPS) do câmpus.

 

Vagas abertas

 

Ainda há 28 vagas remanescentes para o curso Proeja de Caçador. Para concorrer, é preciso ter 18 anos e Ensino Fundamental completo. Confira no edital.

 

Por Eduarda Hillebrandt | Estagiária de Jornalismo IFSC

 

CÂMPUS CAÇADOR