Pular para o conteúdo

Notícias

Evento marca os dez anos de fundação do Câmpus Araranguá

CÂMPUS ARARANGUÁ Data de Publicação: 06 abr 2018 08:40 Data de Atualização: 06 abr 2018 08:45
As atividades em comemoração pelos dez anos do Câmpus Araranguá do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) continuaram nesta quinta-feira (5), com a presença da reitora do IFSC, Maria Clara Kaschny Schneider, e do prefeito municipal, Mariano Mazzuco. No evento, que reuniu servidores e estudantes, foram destacadas as transformações na cidade após a chegada do Câmpus e os desafios para a rede federal de educação profissional, científica e tecnológica.
 
“Durante todo ano, desenvolveremos atividades em comemoração aos dez anos do Câmpus Araranguá”, destacou a diretora Mirtes Lia Barbosa. “A comunidade de Araranguá só ganhou com a vinda do IFSC e da UFSC. A população aumentou, pessoas de fora vieram para cá e isso muda todo o desenvolvimento da região”, afirmou. O ano de fundação do Câmpus Araranguá coincide com o ano de transformação do Centro Federal de Educação Tecnológica em Instituto Federal de Santa Catarina. (Leia a reportagem sobre os dez anos do IFSC em Araranguá.)
 
A solenidade também contou com as presenças da diretora-geral do Câmpus Tubarão, Consuelo Sielski, diretora do antigo CEFET, na época da fundação do Câmpus Araranguá, e primeira reitora do IFSC, do diretor-geral do Câmpus Criciúma, Lucas Dominguini, e da pró-reitora de Administração, Aline Heinz Belo.
 
Prefeito também no ano da fundação do Câmpus Araranguá, ainda como Cefet, Mariano Mazzuco destacou a importância do IFSC para além da formação de profissionais. “Comemorar os dez anos do IFSC em Araranguá é um grande orgulho e um marco importante para a vida do município e do Vale do Araranguá. O Instituto Federal contribui muito na questão da qualificação profissional, mas também na área cultural e em todas as questões que modificam nossa sociedade”, disse o prefeito.
 
O Câmpus Araranguá foi o sétimo câmpus do IFSC a ser criado. De acordo com a reitora Maria Clara Schneider, a instituição passou de quatro mil para 40 mil alunos em seus 22 câmpus distribuídos por Santa Catarina. “Temos enfrentando nos últimos anos dificuldades fortes com relação à educação pública e profissional. Afirmar a diferença que o IFSC faz na vida das pessoas é importante. Não tínhamos educação pública no interior. Quem queria estudar precisava ir para Florianópolis ou para uma cidade maior. Isso muda o contexto do desenvolvimento regional do país e é nisso que acreditamos”, afirmou.
 
A reitora do IFSC também ressaltou os números da rede federal de educação profissional, científica e tecnológica, que passou de 140 para 640 câmpus e 75 mil para quase um milhão de estudantes desde 2003, o que reforça a importância da rede e os desafios relacionados à continuidade da expansão.
 
“É importante citar isso porque somos uma rede forte. A nossa união e nosso trabalho de transformação e resistência têm que ser fortes também, para que a gente continue com a educação pública federal. É um momento de agradecer e conhecer quais os desafios que temos pela frente”, disse a reitora.
CÂMPUS ARARANGUÁ INSTITUCIONAL