Pular para o conteúdo

Notícias

Alunos de Saneamento criam brinquedoteca em escola municipal na Armação

EXTENSÃO Data de Publicação: 07 jun 2018 11:25 Data de Atualização: 07 jun 2018 11:36
Um grupo de alunos da sétima fase do curso técnico em Saneamento reformou uma sala da escola municipal Dilma Lúcia dos Santos, na Armação, no sul da Ilha de Santa Catarina, e a transformou em uma brinquedoteca. Todo o trabalho foi feito com materiais reciclados e reutilizados, inclusive a reforma dos móveis e a construção de brinquedos. A orientação foi do professor Ricardo Lima.
 
“A ideia era desestimular o consumismo, além de seguir alguns dos objetivos de desenvolvimento sustentável. Escolhemos focar no consumo e produção responsável e na redução de geração de resíduos por meio da prevenção, reciclagem e reuso”, explica a estudante Mariana de Souza, que participou da ação.
 
O “Reciclar para Integrar” surgiu após uma visita técnica ao Projeto Lontra, na Lagoa do Peri. Lá, a turma foi instigada a fazer uma ação de sustentabilidade ligada a comunidades locais e acabou chegando à escola, que tinha uma sala subutilizada, onde os professores deixavam material de teatro, boi de mamão e móveis quebrados, como sofás e estantes. Em conversa com a direção, foi identificada a necessidade de um espaço para brincadeiras.
 
“Uma das coisas mais legais foi perceber a sensibilização das crianças quando começaram a ver o resultado. Várias vieram contar que tinham brinquedo em casa e iam trazer, pois viram que o bom de um brinquedo é que ele continue sendo usado e não guardado”, lembra Mariana. Outro ponto positivo foi que os alunos da escola perceberam que nem sempre algo 'de marca' é importante. “Uma das meninas me disse que sempre quis um jogo da Frozen, mas a mãe dela não podia comprar. Fizemos um similar de material reciclado e ela notou que a diversão era a mesma, não precisava do personagem para ser legal. Não precisa comprar tudo o que está na moda”.
 
“É uma troca que nenhum preço paga. Estar lá e ouvir de uma criança que, quando ela crescer, quer ser igual mim e estudar numa escola como o IFSC e, assim, ajudar outras pessoas; ver uma dupla de meninas brincando a tarde toda com um brinquedo que você fez. Não tem preço. Por isso nosso usamos o lema: Remodelamos o presente para transformar o futuro”, afirma Mariana.
 
Veja o antes e o depois da sala neste post da página do projeto.
EXTENSÃO CÂMPUS FLORIANÓPOLIS