Pular para o conteúdo

Notícias

Rádio escola aproxima e desenvolve habilidades de alunos e professores

EXTENSÃO Data de Publicação: 08 jun 2018 13:44 Data de Atualização: 08 jun 2018 13:59
Desenvolver habilidades de linguagem, de expressão oral, de planejamento e gerenciamento, de pesquisa, e ainda ter o domínio de técnicas e tecnologias. Essas são algumas características que são desenvolvidas por quem dedica-se a criar e participar de um programa de rádio. E são essas e outras habilidades que um grupo de professores pretende desenvolver neles mesmos e especialmente em alunos com a criação da Rádio C – a rádio escola do Câmpus Chapecó.
 
A Rádio C surgiu a partir do projeto de extensão Intervalo Cultural, em 2017. Uma das atividades previstas neste projeto foi a criação de uma rádio escola no câmpus e, a partir daí, foi formado um grupo de trabalho que criou, pensou e desenvolveu cada aspecto da rádio, inclusive conseguiu um bolsista e instalou os equipamentos no térreo do bloco C, ao lado da cantina do câmpus.
 
Para entender um pouco o porquê de apostar neste veículo de comunicação, é preciso voltar no tempo, já que a primeira transmissão de rádio já completou mais de 100 anos. No mundo, ela ocorreu em 1906, nos Estados Unidos. Já aqui no Brasil, a Associação Brasileira de Rádio (Abert) afirma que este veículo de comunicação nasceu em 7 de setembro de 1922, quando o país comemorava o centenário de independência e o presidente Epitácio Pessoa realizou a primeira transmissão.
 
Naquela época, o rádio era uma novidade e ninguém tinha um aparelho em casa. Mais de cem anos depois, cerca de 80% dos brasileiros têm um rádio, segundo o IBGE. É claro que a televisão, o computador e os celulares também têm se tornado muito populares e o rádio acabou ficando de lado para muita gente. Mas também é importante lembrar que, por ser mais viável economicamente, este veículo de comunicação também está presente nos aparelhos de celular e nos veículos.
 
É a história e ainda a importância do rádio como meio de comunicação que sempre despertaram o interesse do aluno de Engenharia de Controle e Automação do câmpus, Samuel Franz. Desde o ano passado, ele começou a participar do projeto de extensão Intervalo Cultural e atualmente é o bolsista da Rádio C. “Gosto de rádio pela história e também pelo estilo único que o rádio e seus programas possuem, que é bem diferente do que vemos hoje em dia na televisão, por exemplo”, conta Samuel.
 
Como bolsista, é ele quem organiza o estúdio, domina a técnica de gravação e edição e acompanha os programas. “Além de aprender a gravar e editar os programas, ser bolsista da rádio está me ensinando muito, sobre organização e trabalho em equipe, mas o principal ainda é a relação com as pessoas, que independente dos gostos, sejam eles musicais ou outros, todos podem superar as diferenças e trabalhar juntos”, destaca.
 
O pesquisador Marcos Baltar, que estuda as rádios escola no Brasil, acredita que “a rádio escola possibilita a construção de uma mídia própria e adequada à comunidade escolar. Uma mídia que se configure como decorrência de atividades significativas de linguagem, em que os sujeitos envolvidos em sua construção possam agir como atores capazes e responsáveis, decidindo como e, sobretudo, o que querem comunicar: a pauta (os temas), os tipos de programas, os quadros, gêneros de texto, a linguagem.” (BALTAR, 2008, p. 570)
 
É exatamente a linha que segue a Rádio C. Entre os principais objetivos da rádio está a possibilidade de os alunos realizarem trabalhos em grupo que desenvolvam a criatividade e o senso crítico. “Com a rádio pretendemos também desenvolver habilidades comunicacionais de quem participar, exercitando a comunicação oral, aperfeiçoando a objetividade e clareza de exposição do pensamento, entre outros”, afirma um dos coordenadores do projeto, professor Sávio Maciel.
 
Até agora, a programação conta com três programas: “O que rola no câmpus”, “Juventude em Pauta”, e “Music Space”. Eles foram divulgados no formato podcast para a comunidade interna e externa do câmpus e também é possível acessá-los no site da rádio.
 
Participam do projeto: os professores Adriano Larentes da Silva, Emy Lunardi, Fernando Gallego Campos, Marcos Maciel, e Sávio Maciel, além dos alunos voluntários Everton Alves Valêncio, João Vitor Merlo, Ketheryn Fistarol, Luis henrique Matana Fortes, Patricia Voigt, e Samuel Henrique Franz.
 
Como utilizar a rádio?
 
Acesse o site da Rádio C e informe-se sobre as regras e horários de funcionamento.
EXTENSÃO CÂMPUS CHAPECÓ