Pular para o conteúdo

Notícias

Câmpus Lages trabalha com destino correto do lixo

INSTITUCIONAL Data de Publicação: 09 ago 2018 10:21 Data de Atualização: 09 ago 2018 10:33
O programa IFSC Sustentável do Câmpus Lages vem promovendo ações de acordo com o Plano de Logística Sustentável do IFSC (PLS) - estratégias para promover uma instituição mais sustentável. Um dos subprogramas do plano é o Destino Certo, responsável pelo gerenciamento dos resíduos sólidos. As ações do subprograma, visam à implantação de um padrão institucional de resíduos, destinação correta e um plano de gerenciamento.
 
A comissão do IFSC Sustentável passou por três etapas para adaptar o câmpus conforme o subprograma. A primeira delas foi a palestra com o professor Germano Güttler, coordenador do projeto Lixo Orgânico Zero em Lages, que visa acabar com os resíduos de lixo orgânico na cidade. O tema comentado foi a possibilidade de uma microcompostagem para indústrias ou pessoas que moram em apartamento. 
 
Em visita ao aterro sanitário municipal, a comissão percebeu essa preocupação, já que o lugar é destinado para o descarte de materiais não passíveis de reciclagem - papel higiênico, pilhas, clipes - e, no entanto, recebe cerca de 80% de material que poderia ser reciclado. 
 
A reciclagem em Lages é feita na Cooperativa de Trabalho dos Catadores de Materiais Recicláveis de Lages (Cooperlages), que é responsável pela coleta seletiva de papel, plástico e metal. Somente 30% do material é aproveitado devido o descarte incorreto. A cooperativa está localizada na Rua Bernardo Gonçalves Küster, no bairro São Miguel
 
As visitas fazem parte da atividade “Caminhos do Lixo em Lages”, desenvolvida pela Secretaria de Serviços Públicos e Meio Ambiente de Lages, que visa à conscientização sobre o destino correto do lixo. 
 
Composteira 
 
O método de compostagem no câmpus iniciou em um projeto do professor de Agroecologia Fernando Zinger em 2015. Em um ano, foi recolhida 1,9 tonelada de resíduos orgânicos, e a compostagem era feita em um canto da horta no câmpus. 
 
Em março deste ano, quatro bolsistas - Elenice Hintze, Gabriel Bachega Rosa, Iuri de Souza Martins e Jhonatan da Silva -, coordenados pelos professores de Agroecologia Fernando Zinger e Luciane Costa, iniciaram o projeto “Compostagem dos resíduos orgânicos do IFSC Câmpus Lages visando à melhoria dos indicadores de sustentabilidade”. 
 
O projeto foi aprovado no Edital nº 34/2017/Proppi-DAE (Programa de Apoio a Desenvolvimento de Projetos que Contemplem a Pesquisa como Princípio Educativo). O objetivo da construção é a conscientização dos servidores, colaboradores terceirizados e alunos sobre a importância do descarte adequado de resíduos. 
 
A composteira tem uma área de 24m² e foi finalizada em maio. Os resíduos orgânicos são coletados em todas as lixeiras do câmpus, inclusive na cantina, pesados e destinados à composteira, onde permanecem por três meses até serem usados como adubo nas unidades (hortas e outras plantações) do curso técnico em Agroecologia. O adubo produzido com lixo orgânico é rico em nutrientes e ideal para produção. 
 
O câmpus conta com três cores de lixeiras espalhadas: marrom, verde e cinza. Os orgânicos - cascas, restos de comida, pó de café - são descartados no lixo marrom e recolhidos para a compostagem. Os reciclados - folhas de papel, vidro, garrafa pet -, no lixo verde e carregados pelo caminhão da Cooperlages. E os não recicláveis - papel higiênico, clips -, destinados até o aterro sanitário. “É importante educarmos nossa comunidade interna sobre a separação correta, por isso, além da capacitação, vamos colocar adesivos nas lixeiras, que auxiliam no descarte correto”, explica Luciane. 
 
Capacitação 
 
Em 14 de julho, as terceirizadas do Câmpus Lages do IFSC receberam uma capacitação interna sobre o descarte correto dos resíduos sólidos. “A gente tinha uma ideia de como fazer a separação do lixo. Com a capacitação, foi possível reforçar o conhecimento e tirar dúvidas sobre em qual lixeira algumas coisas devem ser descartadas”, conta a auxiliar de serviços gerais Elenice Nascimento.
 
A segunda aula do projeto Mulheres Sim - que visa à valorização da mulher - foi com a professora Luciane Costa, que explicou o destino do lixo e como o IFSC trabalha essa separação. “Perdemos muito material que poderia ser reciclado. Algumas pessoas jogam lixo em terreno abandonado, o que acaba contaminando. É importante trabalhar esse tema para ir conscientizando mais as pessoas”, diz Vera de Fátima, aluna do Mulheres Sim, que trabalha como catadora.     
INSTITUCIONAL