Qual a diferença entre bacharelado, licenciatura e curso superior de tecnologia?

BLOG DO IFSC Data de Publicação: 07 abr 2021 09:39 Data de Atualização: 07 abr 2021 10:36

Estamos com inscrições abertas até sexta-feira, dia 9, para nossos cursos de graduação por meio do Sistema de Seleção Unificada do MEC, o Sisu. Mas você sabia que temos três tipos de cursos de graduação?

Todos têm a mesma equivalência e, para cursá-los, você precisa ter concluído o Ensino Médio até a data de matrícula. No entanto, cada um tem características que é importante que você conheça antes de decidir qual curso fazer, pois pode influenciar a sua escolha.

Conversamos com o diretor de Ensino do IFSC Tiago Morais Nunes e o coordenador de cursos de graduação Paulo Guilherme Fuchs para explicar a diferença entre bacharelado, licenciatura e curso superior de tecnologia. Neste post, também buscamos esclarecer algumas dúvidas que recebemos quando falamos dos nossos cursos. Vamos lá?

Instituto Federal pode oferecer curso de graduação?

É claro, né? Se não a gente não estaria oferecendo. 😬 Conforme a lei 11.892/2008, um dos objetivos dos Institutos Federais é ministrar em nível de educação superior:

- cursos superiores de tecnologia visando à formação de profissionais para os diferentes setores da economia;
- cursos de licenciatura, bem como programas especiais de formação pedagógica, com vistas na formação de professores para a educação básica, sobretudo nas áreas de ciências e matemática, e para a educação profissional;
- cursos de bacharelado e engenharia, visando à formação de profissionais para os diferentes setores da economia e áreas do conhecimento;
- cursos de pós-graduação lato sensu de aperfeiçoamento e especialização, visando à formação de especialistas nas diferentes áreas do conhecimento;
- cursos de pós-graduação stricto sensu de mestrado e doutorado, que contribuam para promover o estabelecimento de bases sólidas em educação, ciência e tecnologia, com vistas no processo de geração e inovação tecnológica.

O que não poderíamos é oferecer apenas cursos de graduação. A lei que nos criou determina que cada Instituto Federal  deve garantir o mínimo de 50% de suas vagas para cursos de educação profissional técnica de nível médio, prioritariamente na forma de cursos integrados, para os concluintes do ensino fundamental e para o público da educação de jovens e adultos. Além disso, também temos que ofertar um mínimo de 20% de nossas vagas em cursos de licenciatura. 

No entanto, segundo a nossa legislação, nas regiões em que as demandas sociais pela formação em nível superior justificarem, o Conselho Superior do Instituto Federal poderá, com anuência do Ministério da Educação, autorizar o ajuste da oferta desse nível de ensino.

Qual a diferença entre Bacharelado, Curso Superior de Tecnologia e Licenciatura? 

Bacharelado, Curso Superior de Tecnologia (CST) e Licenciatura são tipos de cursos de nível superior diferentes, com concepções e projetos pedagógicos de cursos alinhados com a atuação do egresso. O Regulamento Didático-Pedagógico do IFSC, o RDP, apresenta as diferenças dessas três formações: 

- Bacharelado: é um curso superior generalista, de formação científica ou humanística, que confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade profissional, acadêmica ou cultural, com o grau de bacharel;
- Curso Superior de Tecnologia ou tecnólogo: é um curso superior de formação especializada em áreas científicas e tecnológicas, que confere ao diplomado competências para atuar em áreas profissionais específicas, caracterizadas por eixos tecnológicos, com o grau de tecnólogo;
- Licenciatura: é um curso superior que confere ao diplomado competências para atuar como professor na educação básica, com o grau de licenciado.

Arte mostrando a diferença entre os cursos de graduação do IFSC

-> Consulte também as diretrizes curriculares nacionais estabelecidas pelo MEC

Quais cursos de graduação o IFSC oferece?

Veja no nosso Guia de Cursos.

-> Confira os cursos com vagas abertas para inscrição até sexta

Qual a duração de cada curso?

Os cursos de licenciatura normalmente ocorrem em quatro anos. Já os cursos superiores de tecnologia têm uma duração média de três anos, enquanto os bacharelados levam, em geral, cinco anos para serem concluídos.

Mas isso é uma média. Para saber a duração dos cursos do IFSC, consulte a página de cada curso no nosso Guia

Todos os câmpus do IFSC oferecem cursos de graduação?

Dos 22 câmpus do IFSC, apenas o Câmpus São Lourenço do Oeste ainda não tem oferta de curso superior até por ter sido criado há menos tempo que os demais. Isso é consequência da prioridade dos institutos federais com a oferta de cursos técnicos.

Além disso, para um câmpus oferecer um curso de graduação é preciso ter um Núcleo Docente Estruturante, o NDE, que tem o intuito de qualificar o envolvimento docente no processo de concepção, consolidação e contínua atualização de um projeto pedagógico de curso, o PPC - e isso pode levar mais tempo para ser criado. 

Algum tipo de curso é mais importante do que outro?

Cada tipo de curso de graduação tem sua importância para o desenvolvimento do nosso País. Todos os cursos trabalham as competências dos alunos para a inserção no mercado, na pesquisa acadêmica e na pesquisa aplicada, mas em proporções diferentes conforme o perfil do curso. 

Os cursos de licenciaturas são fundamentais na formação de professores para atuação na educação básica. Já os cursos de bacharelados e os cursos superiores de tecnologia são essenciais na formação de profissionais para atuarem em diferentes setores da economia, desenvolvendo e aperfeiçoando arranjos econômicos locais e regionais.

(Aqui estamos falando só dos cursos de graduação, mas lembrando que também temos os cursos técnicos, FIC, Proeja, pós-graduação… cada um com sua importância 😉) 

Quem é bacharel não pode dar aula?

O bacharel não está habilitado para lecionar. Para o exercício do magistério, o profissional terá que cursar uma complementação pedagógica conforme legislações específicas que tratam desses casos.

Para a docência na Educação Profissional Técnica de Nível Médio, o docente não licenciado poderá buscar complementação pedagógica conforme a Resolução 01/2021/CNE:

Participar de programas de licenciatura e de complementação ou formação pedagógica;

- Participar de curso de pós-graduação lato sensu de especialização, de caráter pedagógico, voltado especificamente para a docência na educação profissional, devendo o TCC contemplar, preferencialmente, projeto de intervenção relativo à prática docente em cursos e programas de educação profissional e;
- Ter reconhecimento total ou parcial dos saberes profissionais de docentes, mediante processo de certificação de competência, considerada equivalente a licenciatura, tendo como pré-requisito para submissão a este processo, no mínimo, 5 (cinco) anos de efetivo exercício como professores de educação profissional.

Quem faz um CST pode fazer uma pós-graduação?

Sim, um curso superior de tecnologia é um curso de graduação e, portanto, serve de pré-requisito para quem quer fazer uma pós-graduação posteriormente. Lógico que cada pós-graduação terá seus pré-requisitos da área específica e aí vai depender de qual CST a pessoa fez.

Tecnólogo é o curso ou o profissional formado em um curso superior de tecnologia?

O termo tecnólogo é uma forma de identificar os profissionais com formação em cursos superiores de tecnologia, que podemos chamar de CST. Os diferentes tipos de CST podem ser conferidos no catálogo nacional. Apesar disso, é comum nos referirmos aos cursos superiores de tecnologia também como tecnólogos.

Por que o IFSC não oferece alguns cursos de graduação como Medicina ou Direito?

Pela lei de criação dos Institutos Federais, a oferta de cursos de graduação deve priorizar os seguintes pontos: cursos superiores de tecnologia visando à formação de profissionais para os diferentes setores da economia; cursos de licenciatura, bem como programas especiais de formação pedagógica, com vistas na formação de professores para a educação básica, sobretudo nas áreas de ciências e matemática, e para a educação profissional; cursos de bacharelado e engenharia, visando à formação de profissionais para os diferentes setores da economia e áreas do conhecimento;

Portanto, ao oferecer um curso, um Instituto Federal precisa considerar esse foco. Para esse tipo de oferta o IFSC não precisa pedir autorização ao MEC, diferente de cursos como Direito, Medicina, Odontologia, Psicologia e Enfermagem - conforme prevê o Decreto 9235/2017.

Tem diferença entre os cursos de graduação de um Instituto Federal e os de uma universidade? 

Normalmente, o desenvolvimento de um projeto pedagógico de curso de graduação está alinhado com as Diretrizes Curriculares Nacionais. Isso faz com que haja semelhança entre as  estruturas curriculares mesmo se o curso é oferecido por uma instituição diferente. Além disso, a certificação é a mesma, ou seja, o diploma de quem se formou em um curso de graduação de um Instituto Federal tem a mesma equivalência de um diploma do mesmo curso de uma universidade.

Terminei um curso técnico. Preciso fazer um curso de graduação?

Não necessariamente. Isso é uma decisão bem pessoal. O profissional que desenvolve as atividades de acordo com as atribuições desenvolvidas em um curso técnico deve buscar uma graduação quando identificar a necessidade de aperfeiçoar ainda mais os seus conhecimentos e ampliar a sua atuação profissional. 

Em algumas áreas, quem faz um curso de graduação pode ter uma remuneração maior do que quem faz só um curso técnico. Mas isso não é uma regra. Há atividades que os técnicos ocupam e são melhores remunerados do que os graduados.

Como fazer um curso de graduação no IFSC?

Desde 2018, o processo seletivo para cursos de graduação do IFSC é feito exclusivamente pelo Sistema de Seleção Unificada do MEC, o Sisu, ou seja, não temos mais vestibular. Para participar do Sisu, o(a) candidato(a) precisa ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem.

-> Tire suas dúvidas sobre o Sisu no site do MEC

O calendário do Enem e do Sisu é definido pelo MEC. Para quem quer iniciar um curso de graduação no IFSC no primeiro semestre deste ano, as inscrições do Sisu estão abertas e devem ser feitas até esta sexta-feira, 9 de abril.

-> Veja as vagas abertas no IFSC para o processo seletivo 2020.1 e faça a sua inscrição

Receba nossos posts

Se quiser ver tudo o que já publicamos no Blog do IFSC, clique aqui.

Você também pode receber nossos posts no seu e-mail sempre que forem publicados fazendo seu cadastro aqui.

 
 
BLOG DO IFSC BLOG DO IFSC